E-Book Grátis: Aprender a Aprender - O Guia Completo

Curso de Estudo e MemorizaçãoQuase todas as habilidades que uso hoje para sobreviver eu aprendi sozinho.

Isso inclui gestão de mídias sociais, criação de sites, marketing virtual, design gráfico, investimento em anúncios, planejamento financeiro…

Além disso, estudando por conta própria fui aprovado duas vezes no vestibular da Unesp, e também convocado em concursos concorridos, como TJSP, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.

Até mesmo a habilidade de ensinar aquilo que eu sei – como estou fazendo neste blog – eu aprendi por conta própria.

E, cá entre nós… a habilidade de aprender sozinho não é exclusividade minha.

Se você parar para pensar, a maior parte daquilo que você sabe é porque também aprendeu sozinho. 

Ou todo o seu conhecimento de vida se resume ao currículo escolar?

Porém, é raro quem presta atenção no processo de aprendizado.

Por isso, muitas vezes, nos esquivamos de coisas simples que não sabemos fazer, mas que poderíamos aprender com facilidade.

O que significa ser Autodidata?

Autodidata é, por definição, quem tem a incrível capacidade de aprender algo novo sem precisar da ajuda de um professor.

Alguém que por conta própria busca, administra e absorve as informações pretendidas.

Todos conhecem alguém que, sozinho, é capaz de entender as matérias mais difíceis da escola/faculdade, a tocar um instrumento musical, ou mesmo a falar um idioma estrangeiro!

O termo em inglês traduzido “autodidata” é selftaught, que ao pé da letra significa “auto-ensinado”.

Lá fora, essa palavra é muito comum para descrever jovens gênios da informática.

Crianças e adolescentes que aprenderam sozinhos a como programar.

Literalmente, pessoas autodidatas aprenderam a aprender.

Mas, qual o mistério envolvido nesta capacidade?

Você Autodidata: 5 Atitudes Mentais para Aprender Qualquer Coisa Sozinho

Temos a tendência de encarar a aquisição de novas habilidades e aprendizados como prêmios de loteria: poderiam mudar nossa vida, mas são quase impossíveis de acontecer.

Para entender melhor, veja esses exemplos:

“Eu seria um profissional muito melhor se soubesse falar inglês fluente…”

“Eu teria muito mais dinheiro se soubesse mais matemática financeira”

“Eu passaria em qualquer concurso se soubesse leitura dinâmica”…

Já se pegou pensando dessa forma?

Pois saiba que esse processo passa por 3 fases:

  1. Superestimamos as habilidades que não temos;
  2. Subestimamos nossa própria capacidade de aprender algo novo e,
  3. Afastamos qualquer possibilidade de realmente aprendermos o que desejamos.

Percebe como boicotamos nossas próprias intenções?

Ainda assim, não seria exagero dizer que qualquer um pode aprender a aprender.

Inclusive você.

Isso porque ser autodidata é, antes de tudo, ser esforçado.

Traçar as próprias metas e alcançar os próprios objetivos requer muita força de vontade.

E ninguém precisa ter o QI do Einstein para se esforçar.

Muito pelo contrário: é gratificante perceber quantas pessoas são capazes de sair de uma situação extremamente desfavorável pelo simples fato de estarem dispostas.

Ser autodidata e estar disposto à mudança é um processo complexo.

E pode ser facilitado ao reconhecermos algumas atitudes mentais específicas.

Este artigo vai te mostrar algumas atitudes mentais extremamente úteis para você aprender qualquer coisa que desejar.

O conteúdo deste artigo é fruto de meu aprendizado do Curso de Estudo e Memorização, realizado online pelo Professor Renato Alves, a quem estimo muito.

Saiba Mais sobre o Curso de Estudo e Memorização.

Para facilitar sua leitura, o texto foi estruturado em 5 tópicos.

Preparado?

1. Conheça a si mesmo.

Auto Conhecimento 1024x576 - Você Autodidata: 5 Atitudes Mentais para Aprender Qualquer Coisa Sozinho

O primeiro passo diz respeito a você, e sua relação interior.

É impossível ter sucesso em sentido pleno se você não estiver em paz consigo mesmo.

Por isso, recomendo que antes de qualquer novo aprendizado, você se coloque em frente ao espelho, e faça uma auto-análise profunda.

Conheça os seus pontos fortes, paixões, fraquezas, talentos, dons, valores, experiências, sucessos, fracassos.

Faço isso há pelo menos 10 anos, e posso garantir que estou só começando.

Vejo um universo dentro de mim, com um agravante: estou em constante mudança.

Sendo assim, mereço constante auto-análise.

Saiba o que você ama.

Isso acontece naturalmente, ao passo que você conhece a si mesmo.

Preste sempre atenção às coisas que te excitam.

Observe quais pessoas que te inspiram e motivam a ser alguém melhor.

Sonhe com o negócio que você gostaria de ter começado.

Encontre as tarefas e os trabalhos em que você se vê realizando.

E sempre observe atentamente.

Entenda seus pontos fracos

Todos temos pontos fracos.

Altos e baixos.

E admitir onde o seu calo aperta pode ser libertador.

Observe as coisas que fazem seu cabelo ficar em pé.

Saiba quais atividades e personalidades você deseja passar longe.

Entenda também quais são os desafios que você deseja vencer.

E quais não.

Lembre-se que fazer algo forçado pode até dar certo durante algum tempo, mas ninguém se beneficiará disso a longo prazo.

Tendo em mente tudo isso, coloque em prática a curiosidade.

2. Seja Curioso

A curiosidade é a fonte de motivação mais sincera que você poderá encontrar.

Pessoas curiosas compreendem novas ideias como desafios a serem vencidos.

Ser curioso significa estar ansioso para aprender coisas novas. E mostra que você está preocupado com as lacunas na sua compreensão do mundo.

Além disso, a curiosidade evidencia aspectos importantes da sua personalidade.

Afinal, as pessoas não se interessam pelas mesmas coisas – ainda bem!

Por outro lado, quem não tem curiosidade enxerga o aprendizado como uma tarefa chata.

Ou pior, algo que está além de suas capacidades.

Embora muitas vezes a curiosidade aconteça de modo inexplicável, ela pode ser treinada.

Adote uma Atitude Mental Curiosa

A partir de hoje, não rejeite novas informações.

Sempre que você se deparar com algo novo, busque saber mais a respeito daquilo.

Ao visualizar algo desconhecido enquanto navega nas redes sociais, por exemplo, pesquise imediatamente sobre assunto.

Caso não seja possível naquele momento, faça uma nota no seu celular para poder pesquisar mais tarde.

Outra boa ideia é perguntar aos seus amigos como funcionam suas respectivas profissões.

Além de estreitar os laços de amizade, ao fazer isso você estará exercitando sua curiosidade.

Aos poucos, você vai perceber que essa série de pequenos novos aprendizados se tornará uma rede de informações interconectadas na sua mente.

E facilitará, de forma indireta, o aprendizado de futuros conteúdos.

Além disso, com o passar do tempo, você terá cada vez mais curiosidade.

Lembre-se: ninguém nasce sabendo muita coisa.

Todos somos capazes.

3. Tenha Paciência

paciência para o aprendizado autodidata

Aprender é essencialmente um processo demorado.

Dependendo da complexidade de um tópico, aprender algo novo pode levar bastante tempo.

E, muitas vezes, bem mais tempo do que foi planejado.

Além disso, não há ninguém para controlar seu estudo quando você está aprendendo algo por conta própria. 

Neste sentido, concluir tarefas complexas sozinho – que envolvem meses, ou mesmo anos de estudo – pode ser desafiador.

Isso porque se você mesmo não se policiar, qualquer perda de interesse pode significar abandono do projeto.

E esse não é o melhor caminho, certo?

Aprender um novo idioma, por exemplo, é uma tarefa muito complexa, e que requer bastante tempo.

Você precisará absorver um universo inteiramente novo de palavras, estruturas linguísticas, formação de ideias…

Lidar com essas novas informações – algumas delas aparentemente irrelevantes – pode ser uma tarefa extremamente frustrante se você não for paciente.

São meses ou anos de estudo antes de finalmente se tornar fluente em outra língua.

Se você não for paciente, provavelmente nunca terminará de cumprir seu objetivo inicial.

Pior ainda: perderá todo o investimento de tempo e dinheiro realizados anteriormente.

Por isso, ser paciente é uma qualidade essencial para quem deseja aprender qualquer coisa sozinho.

E o segredo para manter a paciência é estar sempre motivado.

4. Os Segredos da Auto-Motivação

Foco e Concentração

Como em qualquer outra atividade, aprender coisas novas exige esforço.

E, por sua vez, manter o esforço sem desanimar demanda motivação.

Em japonês, a palavra utilizada para descrever o “aprimorar” constante e interminável é kaizen.

A kaizen tem sido muito utilizada como uma filosofia operacional dentro das modernas empresas japonesas.

Seu significado remete à filosofia da antiga classe guerreira, e se tornou o mantra pessoal de milhões de pessoas bem sucedidas em todo o mundo.

Continuar em constante aprendizado, independentemente de influências externas – como a figura do professor, do chefe, ou de um evento inesperado – é uma característica compartilhada por pessoas de sucesso.

Aprendizes constantes e auto-motivados estão sempre procurando por novas maneiras de melhorar seu desempenho, seja qual for a atividade.

O que significa Auto-Motivação?

A definição mais simples para auto-motivação é “a força que nos move a fazer coisas”.

É o que faz você ser capaz de trabalhar por seus objetivos, se esforçar pelo próprio desenvolvimento, e conquistar satisfação pessoal.

Avalie as seguintes situações:

  1. Você tem uma tarefa que precisa fazer. Apesar de não haver nenhuma paixão envolvida, você sabe que entregar este projeto vai demorar um bom tempo e custar bastante trabalho.
  2. Você tem uma tarefa que quer fazer. Você mesmo quem decidiu começar este projeto, e existe interesse envolvido da sua parte para concluir as etapas necessárias. E, provavelmente, estará feliz em investir uma quantidade ilimitada de esforço para isso.

Em qual cenário você será mais eficiente?

Ao passo que você consegue manter a si mesmo motivado, sua personalidade se moldará, e começará a demonstrar alguns desses traços marcantes:

  1. Você passa a aprender porque você quer, não porque é sua obrigação.
  2. Você demonstra mais humildade, por se ver num contínuo processo de “auto-aprimorar”.
  3. Você não se contenta com pouco, e se mostra sempre disposto a assumir riscos maiores para conquistar resultados mais distantes.
  4. Você finaliza todas as tarefas que começou, mesmo que isso exija tempo, paciência e persistência.
  5. Você se torna flexível, e não espera ser forçado por uma situação externa para procurar por mudanças.

A auto-motivação servirá de base para outra atitude mental indispensável para aprender qualquer coisa sozinho: a auto-disciplina.

5. Tenha uma vida disciplinada.

Foco e Concentração

A palavra disciplina carrega consigo um significado controverso.

Para um filho, por exemplo, disciplina muitas vezes envolve obediência aos pais.

Por isso, muitas vezes a relacionamos com “fazer algo que não queremos”, mesmo que contra a nossa própria vontade.

Liberdade, disciplina e filosofia.

Segundo a filosofia existencialista, a liberdade nos torna responsáveis por nossas próprias escolhas.

Naturalmente, temos a tendência de adiar a existência, evitando os riscos e a culpa – gerada pelas consequências das decisões que tomamos.

Arriscar-se na procura por autenticidade é uma tarefa árdua; uma jornada pessoal em busca de si mesmo.

Desta forma, a melhor forma de exercer sua liberdade é fazendo aquilo que você não quer.

Para explicar melhor o que quero dizer, preciso que você responda com sinceridade às seguintes perguntas.

O que você prefere:

  • Acordar cedo ou dormir até tarde?
  • Ter uma alimentação saudável ou comer tudo o que der vontade?
  • Praticar atividades físicas ou assistir televisão?

Apesar da nossa tendência natural de buscar sempre o caminho mais fácil, precisamos de disciplina para cumprirmos as tarefas que realmente importam.

Comece com pouco.

Se você deseja exercitar a sua auto-disciplina, o ideal é começar com pouco.

Tentar abraçar o mundo pode ser frustrante, pois as chances de falha são grandes.

Então, para não acabar desmotivado, comece demonstrando disciplina em tarefas pequenas e isoladas.

Se você ainda não escova os dentes 3 vezes por dia, não faz todas as refeições nos horários corretos, ou não acorda cedo nos fins de semana, talvez estes sejam bons pontos de partida.

Aos poucos, vá aumentando seus objetivos.

Passe a assistir menos televisão, siga uma dieta regrada, e beba menos álcool.

Inclua atividades benéficas na sua rotina, como leitura, exercícios físicos e meditação.

Logo, você vai perceber “a casa em ordem”.

E sentirá necessidade de buscar por um novo aprendizado, e integrar isso à sua rotina.

7 Dicas Práticas para manter a auto-disciplina.

A seguir, acompanhe 7  dicas práticas para manter a auto-disciplina.

Defina bem seus objetivos. O que significa sucesso para você? Quais os passos que precisam ser dados para chegar lá?

Tenha em mente seus valores. O que é realmente importante para você? Quais benefícios seus objetivos vão trazer para sua vida? Quais os desafios que você enfrentará para chegar onde deseja?

Identifique os obstáculos. Quais são os principais desafios? O que você pode fazer para ter certeza de que passará por cima deles?

Identifique as mudanças necessárias. O que você está fazendo pelos seus objetivos? Quais qualidade e habilidades você precisa treinar para chegar lá?

Desenvolva um plano de ação. Qual é o seu planejamento? Você já fez um plano de estudos? Quais suas metas de longo, médio e curto prazo?

Acompanhe os resultados. Quais tem sido os acertos? Quais erros você cometeu? O que fará para não repetí-los?

Comemore os acertos. Porque a vida não é só trabalho.

Aprimore suas Habilidades de Aprendizado.

Certa vez, um velho lenhador – conhecido por sempre vencer os torneios que participava – foi desafiado.

O jovem desafiante era um lenhador forte e habilidoso, e por isso, era considerado por muitos o favorito para ganhar a competição.

O desafio chamou a atenção de todos os moradores da localidade.

No dia marcado, os dois competidores começaram a disputa.

O jovem se entregou com grande energia, convicto de que seria o novo campeão.

De tempos em tempos, ele olhava para o velho e, às vezes, percebia que ele estava sentado.

Pensou que o adversário estava velho e cansado demais para a disputa, e continuou cortando lenha com todo vigor, acreditando ser o favorito.

Ao final do prazo estipulado para a competição, foram medir a produtividade dos dois lenhadores.

Para a surpresa de alguns, o velho venceu novamente – por larga vantagem – aquele jovem e forte lenhador.

Intrigado, o moço questionou:

– Não entendo… muitas das vezes quando eu olhei para o senhor, durante a competição, notei que estava sentando, descansando. E, no entanto, conseguiu cortar muito mais lenha do que eu! Como você fez isso?!!

– Engano seu! – disse o velho.

– Quando você me via sentado, na verdade, eu estava afiando o meu machado. Percebi que você usava muita força, mas tinha poucos resultados. Foi por isso que você perdeu.

Como está o Fio do seu Machado?

A história do velho lenhador

Como em qualquer outro ofício, você também pode ‘afiar’ suas habilidades de aprendizado.

“Quem não leva a sério a preparação de algo, está se preparando para o fracasso” – Benjamin Franklin”.

Graças a tecnologia, uma infinidade de novas informações estão disponíveis ao nosso alcance a qualquer momento.

Isso dá ao autodidata a possibilidade de ensinar a si mesmo sobre qualquer assunto, seja ele qual for.

 

Comece seu Projeto de Aprendizado Hoje.

O professor Renato Alves oferece seu Curso Essencial de Estudo e Memorização de forma gratuita para os leitores do blog Sociologia Líquida.

São 4 aulas grátis para você dar início ao seu projeto de aprovação.

PS: esta oferta é por tempo limitado.

Curso Essencial de Estudo e Memorização.

Além disso, tenho abordado constantemente neste blog a importância das técnicas de leitura, estudo e memorização para um aprendizado eficaz.

Após terminar esta leitura, confira também:

Leitura Dinâmica: O Segredo para Aprender até 3x mais Rápido

Profissão Estudante: 7 Evidências de que Você está Estudando Errado

10 Estratégias Rápidas e Consistentes para Manter a Concentração Durante o Estudo

Nos próximos artigos, vou continuar abordando a importância do estudo e as técnicas de aprendizagem.

Ainda esta semana vai ao ar um artigo sobre como evitar a procrastinação

E em breve vamos bater um papo sobre a importância de um plano de estudos eficaz.

Continue nos acompanhando!